Governo quer condicionar avanços no diálogo

Governo quer condicionar avanços no diálogo de outros itens da pauta de reivindicação dos servidores a aceitação de 21,3% em 4 anos

Um impasse tomou conta dos processos de negociação entre servidores e governo. Nesta terça-feira a Condsef participou de reunião para tratar pauta que interessa a cerca de 500 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas que compõem carreiras como PGPE (Plano Geral de Cargos do Poder Executivo), CPST (Carreira da Previdência, Saúde e Trabalho, incluindo Funasa), PECFAZ (Plano de Cargos dos Administrativos Fazendários), e similares. Lançando mão do cenário de dificuldades que a economia do país atravessa, a SRT alegou que avanços no debate sobre demandas específicas estariam condicionados a aceitação do índice de 21,3% num prazo de 4 anos, como já apresentado e rejeitado pela maioria dos servidores. Não foram confirmadas agendas de outras reuniões para tratar pautas específicas dos demais setores da base a Condsef.

A Condsef ponderou que fez um amplo debate com a categoria e que a maioria espera, ao menos, que o governo negocie índices de reajuste considerando um prazo de no máximo dois anos, abrindo a possibilidade para o debate do conjunto de outras reivindicações urgentes para a maioria dos federais. Para a maioria do Executivo, entre os temas urgentes também está o debate sobre mudança de regra na contagem de pontos considerando a média dos últimos cinco anos das gratificações de desempenho para fins de aposentadoria, benefícios, entre outros itens. O secretário da SRT, Sérgio Mendonça, se comprometeu a conversar com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e agendar outra reunião para os próximos dias.

Intensificar mobilizações – Para a Condsef, o cenário exige que os servidores intensifiquem o processo de mobilizações se quiserem conquistar avanços e destravar o impasse que se instalou. A categoria não deve permitir que o atendimento de reivindicações urgentes fique condicionado a aceitação de uma proposta já rejeitada e extremamente prejudicial. Com o tempo limitando cada vez mais o processo de negociações, somente um intenso movimento de unidade e pressão poderá mudar essa lógica imposta pelo governo.

Nesta quarta, 22, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) promove um dia nacional de lutas com paralisação em todo o Brasil e marcha a Brasília. A Condsef e suas filiadas participam intensamente das atividades propostas. Até o momento, a previsão é de que pelo menos 3 mil servidores participem da marcha com caravanas de todo o Brasil. Em outros cidades também haverá mobilização e atos por avanços nos processos de negociação com o governo.

As entidades também estão pedindo audiência com o ministro Miguel Rossetto da Secretaria-Geral da Presidência da República. O objetivo é solicitar a intervenção e auxílio do ministro nos diálogos para garantir atendimento das demandas mais urgentes apresentadas pelos federais. Continua também o processo de mobilização e deflagração de uma greve a partir da próxima segunda, 27, para intensificar o processo de pressão e tentar destravar os impasses que se instalaram no diálogo com a SRT.

O momento exige o esforço de todos. Participe das atividades e fortaleça a luta dos servidores federais. Essas e outras informações de interesse dos setores da base da Condsef vão continuar sendo publicadas aqui em nossa página.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Deixe um comentário