Sinfa-RJ denuncia golpe de suposta Associação Brasileira do Servidor Público Federal

O Servidor Nelício José Lopes de Almeida, engenheiro de tecnologia militar da marinha aposentado, entrou em contato na manhã desta quinta-feira (2) com o SINFA-RJ alertando o sindicato para mais um golpe. Dessa vez, o servidor recebeu uma correspondência de uma entidade que se auto-intitula como “Associação Brasileira do Servidor Público Federal” lhe informando sobre uma suposta “restituição de crédito previdenciário”.

“Eu já desconfiava que era algo irregular e o Presidente me informou que se tratava de um golpe. A carta tem endereço, tem o nome de uma pessoa. Foi a primeira vez que aconteceu algo do gênero. Eu estranhei bastante como eles obtiveram meu endereço, CPF e outros dados se eu não sou ligado a essa associação que sequer sei se existe.” – afirmou Nelício.

O SINFA-RJ alerta aos servidores que não confiem em cartas de entidades que desconhecem. A ação de aproveitadores, que conseguem os dados dos servidores forma irregular, tem sido cada vez mais comum e a atenção deve ser redobrada.

“O SINFA-RJ têm um sistema de atendimento pronto para tirar todas as dúvidas dos servidores. Mediante qualquer tipo de correspondência ou ligação anunciando qualquer tipo de benefício, entrem em contato conosco para evitar cair em golpes que visam lesar a categoria. O Sindicato está de portas abertas para tirar dúvidas e todas as ações movidas pelo sindicato não geram honorários advocatícios ou taxas de ajuizamento aos seus associados.” – afirmou o Presidente do SINFA-RJ, Luís Cláudio de Santana.

Aposentados e pensionistas sofrem com ações de entidades falsas

No site “reclame aqui”, famoso portal de reclamações da internet, denúncias de falsas associações de servidores se acumulam sem respostas. Em uma busca na rede não encontramos nenhum vestígio de existência da suposta associação remetente da carta.  O endereço da carta condiz não com uma associação de servidores, mas sim com um escritório de advocacia, mais um indício do falso conteúdo da carta.

Aposentados e pensionistas devem ficar atentos ao conteúdo de cartas que chegam em seu endereço, e evitar as abordagens de agentes que operam nas ruas das grandes cidades propondo revisão de benefícios. Segundo matéria do Jornal “O Estado de Minas”, “no país, inúmeras entidades são formadas com intuito de oferecer serviços jurídicos aos aposentados, incentivando a abertura de ações que custam caro, dão a entender que eles teriam direito a uma correção do benefício, mas nem sempre têm o real respaldo jurídico e acabam gerando prejuízos aos aposentados e pensionistas”

Em São Paulo, uma ação civil pública foi movida pelo Ministério Público do estado apontando práticas abusivas de algumas associações. No ano passado, a Justiça proibiu, em caráter liminar, entidades que operam com prestação de serviços a aposentados e pensionistas de filiar novos clientes a sua base, sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil. Três entidades foram citadas na ação do MP de São Paulo: Associação Brasileira de Apoio aos Aposentados, Pensionistas e Servidores Públicos (ASBP), a Associação Nacional de Defesa e Apoio ao Consumidor (Andac) e a Associação Brasileira de Apoio a Empresa (Abraem). Em Minas Gerais, o Ministério Público de Defesa da Pessoa Idosa também investiga denúncias direcionadas à ASBP.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Deixe um comentário