Reajuste gera polêmica

Apesar do descontentamento dos servidores do Judiciário, o veto da presidente Dilma Rousseff ao projeto que estabelece reajustes salariais de 53% a 78%, dificilmente será derrubado no Congresso, na avaliação do diretor-geral do Supremo Tribunal Federal (STF), Amarildo Vieira. O motivo é o acordo fechado com o Executivo para que os vencimentos tenham aumento escalonado de 41,47% até 2019. “Diante da conjuntura econômica, os 41,47% são uma vitória”, analisou Vieira. “É importante destacar que cada R$ 1 mil de alta no salário provocam impacto de R$ 1,566 bilhão na folha de pagamento”, esclareceu.

 

O montante pode ser ainda maior, porque o Judiciário federal não para de crescer: em 2012, eram 103.500 mil funcionários; agora, são 117.500. “Não creio que o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros, que entende a necessidade de um severo ajuste fiscal, paute a matéria para amanhã (hoje)”, disse Vieira. Atualmente, assinalou, um analista judiciário ganha entre R$ 8,2 mil e R$ 13,2 mil (início e fim de carreira) e um técnico, de R$ 5 a R$ 8 mil. Em junho de 2019, o analista passará para R$ 11,7 mil a R$ 18,7 mil e o técnico, para R$ 7,1 mil a R$ 11,3 mil.

 

Amarildo Vieira lembrou que, com o reajuste acordado, a partir de 2020, o acréscimo na folha de pagamento será de R$ 5,99 bilhões por ano. “Mas até lá, com os aumentos semestrais, o gasto adicional ultrapassará os R$ 14 bilhões”.

 

Outra queixa dos servidores se refere à diferença de tratamento com os ministros dos tribunais – que ganharão 16,38%, à vista, em 2016, ou seja, aumento médio imediato de R$ 3.417 mensais nos contracheques. Os subalternos ficarão com R$ 3,824 até 2019, o que significa ganho médio de R$ 956,09 mensais a  cada ano. Os servidores voltarão às ruas, hoje, para pressionar o Congresso. “O acordo com o Executivo sequer repõe as perdas inflacionárias. Continuaremos a luta pela derrubada do veto”, destacou Cledo Vieira, coordenador-geral da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário (Fenajufe).

 

Correio Braziliense    

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Deixe um comentário