O respeito ao aposentado começa no reconhecimento à PARIDADE

Pare um minuto. Pense em todo o trabalho, sacrifício, cansaço e a certeza de que muito já foi feito ao longo de sua vida economicamente ativa. E, que depois de viver tudo isso, da certeza do dever cumprido, você passe a enfrentar um injusto tratamento que ignora seus direitos e dificulta o período de sua vida em que você mais precisa de tranqüilidade. Sua saúde depende de médicos, planos e remédios cada vez mais caros. Seu corpo precisa de alimentos específicos e sua mente de lazer. Mas seu bolso não acompanha essas demandas.

Mais da metade do orçamento familiar ainda depende de seu salário. Servidor aposentado ou pensionista, a cada ano você espera por um reajuste salarial capaz de repor, ao menos a inflação, mas esse reajuste nunca veio. Pior que isso, seu direito constitucional à paridade, que lhe garante salário igual ao dos servidores ativos lhe é sistematicamente negado. Imagine que depois de muita luta, você, em 2007, continua esperando que parlamentares, possam lhe ajudar a ter esse direito reconhecido.

Continuamos em busca do cumprimento de um direito que nos é conferido pela Constituição. Mesmo nos tribunais, esse direito é reconhecido apenas de forma parcial.

Recentemente, um grupo de aposentados que recebia gratificação (GDATA), percentualmente menor aos valores concedidos a servidores ativos, teve a paridade reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas apenas para um período onde a PARIDADE O respeito ao aposentado começa no reconhecimento à GDATA não havia sido regulamentada. Tal parecer dá carta branca ao governo para que esse direito continue sendo negado.

Com o desrespeito à Constituição, Executivo e Judiciário compactuam com um verdadeiro crime. Recorremos ao Legislativo para que não fiquemos à mercê de análises subjetivas que escondem um direito conhecido de todos.

É dever da União, estender a aposentados e pensionistas valores integrais de qualquer reajuste concedido a servidores em atividade. É hora de os senhores cumprirem suas promessa e nos restituir esse direito!

Hoje, nossos salários são os mais baixos de toda a história. As “reformas” no sistema previdenciário reduzem direitos e privatizam o sistema. E para desespero dos trabalhadores, já está sendo concebida a terceira Reforma da Previdência, além da regulamentação da Previdência Complementar do servidor público.

Não vamos nos calar diante de tantos ataques. Continuaremos lutando, além de nossas forças, em defesa de nossos direitos. Luta que não é só nossa, mas também dos ativos que serão os aposentados de amanhã.

Governo Collor, Itamar, FHC… E agora o governo do presidente Lula. Parece que há uma disputa para ver quem aplica melhor o programa neoliberal que ataca os aposentados.

Apelamos para que, através de seus mandatos, trabalhem pelo reconhecimento dos bons serviços que já prestamos a esse País.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email