Em encontro com ministros, centrais alertam para prejuízos com possível veto à fórmula 85/95

 

As centrais sindicais se reuniram nesta segunda-feira (15), com representantes do governo para discutir proposta alternativa ao fator previdenciário. Representando a CTB, participou o secretário-geral nacional, Wagner Gomes. Pelo governo, estiveram presentes os ministros da Previdência, Carlos Gabas; das Comunicações, Ricardo Berzoini; da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto; e do Planejamento, Nelson Barbosa.

O objetivo do encontro foi apresentar a proposta das centrais sobre o novo cálculo de aposentadoria e reivindicar a sanção da proposta que institui a fórmula 85/95, já aprovada pelo Congresso Nacional no fim de maio. A presidente Dilma Rousseff tem até quarta-feira (17) para vetar ou sancionar a proposta que diminui as perdas das aposentadorias.

Criado em 1999, no governo Fernando Henrique Cardoso, o fator previdenciário diminui em aproximadamente 30% o valor das aposentadorias. Já a fórmula 85/95 garante aposentadoria integral para mulheres cuja soma da idade com o tempo de contribuição seja 85 anos e, no caso dos homens, 95 anos.

Para o secretário-geral da CTB, caso a presidente Dilma vete a proposta, serão muitos os prejuízos para os trabalhadores na hora de se aposentar. “É preciso lembrar que essa proposta não é a ideal, pois ela já retira direitos [as centrais defendem o fim do fator], mas, com o veto presidencial, a situação vai piorar”, alertou o dirigente cetebista.

Wagner Gomes criticou o mal uso dos recursos da Previdência Social: “Se o dinheiro da Previdência fosse usado só para a Previdência, não teria problema com aposentadoria, mas não é.” A fórmula 85/95, segundo Gomes, possibilita uma melhoria para as novas aposentadorias, mas não repõe os prejuízos causados pelo fator previdenciário.

Apesar de todos os argumentos apresentados pelos representantes das centrais sindicais, os ministros disseram que a situação da presidente é muito difícil, mas, ainda está avaliando sobre a decisão que vai tomar na quarta-feira. Elas afirmaram que vão levar as ponderações e reivindicações das centrais para a chefe de Estado.

Vigília

Como protesto e em defesa da sanção da proposta que institui a fórmula 85/95, as centrais sindicais vão realizar vigília, de terça (16) para quarta-feira (17), em frente ao Palácio do Planalto. Uma caminhada será feita às 17h de terça-feira, saindo da Catedral até a Praça dos Três Poderes. Lá os sindicalistas vão permanecer acampados por toda a noite.

Na manhã de quarta-feira (17) será realizado ato público, com pronunciamentos dos dirigentes das centrais sindicais para cobrar da presidente Dilma uma decisão favorável à classe trabalhadora.

Confira abaixo a nota conjunta das centrais:

“NÃO AO VETO da Fórmula 85/95As Centrais Sindicais CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT, consideram necessário para a sociedade brasileira e para os trabalhadores o debate e a atualização da estratégia do sistema previdenciário do país e declaram-se dispostas a enfrentar essa agenda, já longamente debatida desde o Fórum Nacional da Previdência Social em 2007.Consideram que a aprovação, pelo Congresso Nacional, da introdução da Fórmula 85/95 para as aposentadorias, é avanço concreto dessa agenda e avaliam fundamental e necessário a sanção presidencial dessa lei.Declaram-se também dispostas a debater a regulamentação imediata dessa medida e a pauta previdenciária.Direção Nacional das Centrais Sindicais – CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT”

Fonte: CTB

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Deixe um comentário