Sinfa-RJ comemora 30 anos com ato político e coquetel dançante

SINFA RJ » Destaques » Reuniões

O Sindicato dos Servidores Civis no Ministério da Defesa – Comandos da Marinha, Exército e Aeronáutica (Sinfa-RJ) realizou, na última quarta-feira (18), um ato político e coquetel dançante em comemoração aos 30 anos de lutas e conquistas. A atividade, ocrorrida na exata data de aniversário do sindicato reuniu centenas de pessoas, grandes lideranças do meio sindical, dirigentes históricos da entidade e teve um animado clima de reencontro entre os servidores que ao longo dos últimos 30 anos construíram o Sindicato.

A mesa do ato político reuniu o Presidente do Sinfa-RJ, Luís Cláudio de Santana; a Vice-Presidenta do Sinfa-RJ, Márcia Ferreira da Silva; a Secretária Geral do Sinfa-RJ, Arlene Carvalho; a Secretária de Administração da CondSef, Jussara Griffo; o Presidente da CTB Rio de Janeiro, Paulo Sérgio Farias; e, o Presidente da FESEP-RJ, Marco Correa da Silva.

A primeira fala do ato político coube à vice-presidenta do Sinfa-RJ, Márcia Ferreira da Silva. Em sua fala, Márcia resgatou o histórico da fundação do Sindicato, saudando o fundador do Sinfa-RJ, o companheiro Santa Rita. Relembrando as lutas de Santa Rita, Márcia apresentou aos presentes a dinâmica de fundação da entidade, em meio às lutas pela representação da categoria.

“Não há, no Rio de Janeiro, e em todo Brasil, quem não conheça as lutas do Sinfa-RJ. Hoje, temos um sindicato, robusto, forte, famoso, mas que também precisa cada vez mais dos seus filiados.” – afirmou.

A vice-presidente aproveitou para fazer uma defesa dos Sindicatos, ressaltando a importância das entidades de classe, afirmando:

“Se o sindicato deixar de existir, o trabalhador fica sozinho. E o trabalhador sozinho é mais explorado ainda.” – alertou.

Após a fala da vice-presidenta, o microfone foi passado para a Secretária Geral do Sinfa-RJ, Arlene Carvalho, que fez uma dura fala criticando o momento atual do país. Arlene creditou o alto índice de desempregados ao avanço do neoliberalismo e alertou a todos sobre a perda de direitos.

“Hoje estamos aqui, nesse momento, festejando os 30 anos do Sinfa em um momento terrível do país. Um momento que não é bom pra ninguém. Nossas crianças e nossos jovens não tem muito mais o que fazer dentro desse quadro que se apresenta do avanço draconiano do neoliberalismo que impera nesse momento sob a égide do capital financeiro. Temos mais de 12 milhões de desempregados, jovens e adultos perdendo seus direitos e nós também estamos perdendo nossos direitos mas enquanto tivermos fôlego, estaremos na luta. Queremos um Brasil grande, forte e que não fique de joelhos para o capital financeiro.” – defendeu Arlene.

O Presidente da Federação Estaudal dos Servidores Públicos Municipais do Rio de Janeiro (FESEP-RJ), Marco Correa da Silva, fez a terceira fala do ato político valorizando a realção construída entre o Sinfa-RJ e o sua base:

“Dia festivo, dia importante, dia de um sindicado que é diferente. Dia de uma entidade que tem uma base que se reconhece no sindicado, que por sua vez possui uma diretoria atuante e extremamente democrática.”

Além de saudar o Sinfa-RJ e sua base social, o Presidente da FESEP-RJ também entrou no tema da conjuntura e fez críticas à Emenda Constitucional 95, e, especialmente, à Reforma da Previdência:

“Vivemos uma crise instalada para se pagar mais juros da dívida, pra dar mais dinheiro pra banqueiro. Não sou contra nenhuma reforma. Temos que estar abertos a qualquer tipo de discussão. Mas não é justo que não se comece por quem ganha mais. Começar por quem ganha menos, tirar abono de PIS/PASEP, é uma crueldade.” – afirmou.

Jussara Griffo, Secretária de Adminstração da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (CondSef), tomou a palavra logo após o término da exposição de Marco. Em sua intervenção, a dirigente se disse muito feliz em participar das comemorações de 30 anos do Sinfa-RJ e classificou o Sindicato como “um dos maiores sindicatos filiados à CondSef”. Jussara também fez críticas à Emenda Constitucional 95, afirmando que “quem aprovou da Emenda Constitucional 95 não defende o Estado Brasileiro” e valorizou a postura do Sinfa-RJ dentro da conjuntura atual:

“Não existem negociações em curso, mas todo mês o Sinfa-RJ está lá em Brasília, buscando encontrar caminhos para trazer conquistas para os servidortes” – valorizou.

A Secretária da Condsef também falou sobre a importância dos Sindicatos, ressaltando que o movimento sindical ainda é um forte agente mobilizador da sociedade e defendeu a unidade das forças que atuam no movimento sindical:

“Porque o governo está perdendo tanto tempo em fazer a reforma trabalhista e tirar o financiamento dos sindicatos? É porque somos fracos ou é porque quem vai enfrentar essa falta de política no país somos nós, a representação dos trabalhadores? O governo transformou a MP 873 em Projeto de Lei. Mas nós vamos resistir. E pra resistir, precisamos de unidade, do fortalecimento das nossas entidades. Nós somos fortes e tenho certeza que a classe trabalhadora via vencer.”

O Presidente da CTB Rio de Janeiro, Paulo Sérgio Farias, também valorizou o papel do Sinfa-RJ na construção da central sindical. Nas palavras de Paulo Sérgio:

“O Sinfa é um dos pilares da construção da nossa central e temos a grata satisfação de ter participado de todo esse tempo, junto com essa direção, das lutas desse sindicato.”

Paulo Sérgio também analisou a conjuntura e lembrou que o mesmo discurso usado para aprovar a Reforma Trabalhista é repetido, agora, para tentar a aprovação da Reforma da Previdência:

“Desde que o Temer assumiu todas as medidas são tomada dizendo que são feitas para combater o desemprego, mas todo dia tem uma família nova indo morar nas ruas e no desalento. Pra defender nossos Sindicatos, precisando defender nosso país. Esse projeto não nos serve e temos que construir as condições para derrotar esse projeto.”

O Presidente da CTB-RJ também fez um alerta sobre os perigos do fim da unicidade sindical, convocando as entidades presentes a se unirem na luta contra a medida que, segundo Paulo Sérgio, faz parte dos planos do governo.

Encerrando o ato político, o Presidente do Sinfa-RJ, Luís Cláudio de Santana, agradeceu a presença de todos, saudou os convidados da mesa e fez uma fala ressaltando o histórico do Sindicato. Luís Cláudio relembrou momentos marcantes, assembleias que reuniram mais de mil pessoas e valorizou o poder de negociação do Sinfa-RJ:

“Parte dos sucessos que tivemos é oriundo da negociação. O que está posto hoje é muito ruim, mas acredito no Brasil. Esse ano é de luta, mas é de luta boa.” – defendeu.

Ao fim de sua fala, o Presidente do Sinfa-RJ deu por encerrado o ato político e iniciou o coquetel dançante, com música ao vivo e muita animação, para comemorar os 30 anos de história do Sinfa-RJ.

Clique AQUI e veja as fotos do ato político e coquetel dançante de comemoração pelos 30 anos no Sinfa-RJ.

2 Comentários

    AILTON PONTES | Em 20/09/2019
  1. Parabéns

  2. Dário Silva | Em 20/09/2019
  3. Gostei muito dos palestrantes, com comentários verdadeiros e esclarecedores.

Últimas notícias

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Reunião em São Gonçalo, dia 21, tem novo horário

O Sinfa-RJ comunica que, a reunião marcada para São Gonçalo, no dia 21 de Outubro (Segunda-Feira), foi remarcada às 15 horas na mesma...

Ler mais
segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Servidores lançam ofensiva contra dados do Banco Mundial e apresentam estudo na Câmara

Com a iminência de uma reforma administrativa na União, a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público vai promover amanhã a primeira audiência após o seu lançamento que ocor...

Ler mais
segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Reforma administrava na União vai seguir modelo de Portugal

São pouco mais de 617 mil funcionários públicos federais ativos, 117 carreiras diferentes e, ao todo, 43 planos de cargos. Para a equipe técnica do Ministério da Economia, essa estrutura...

Ler mais

Informativos





Rua da Quitanda, 45 / 6º andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ - CEP: 20.011-030 | Telefones: 21 2507.5156 / 2507.5178 / 2507.5235